terça-feira, 24 de novembro de 2009

pássaro

meus dedos de aço
passam na plumagem
luminoso pássaro
imerso na paisagem
em minha cor e casa
e ponho-o no meu lago
um pincel usado
pinço-o com cuidado
ramagem extraordinária
forma de uma flor
ou como um piano
como um belo plano
bebo seu licor
e forço a sua entrada

dou-lhe vida e cor

3 comentários:

  1. O poeta se move quando move o mundo que passa por ele.

    Muito lindo!

    Jefferson.

    ResponderExcluir
  2. obrigado, poeta com quem dialogo sempre via net,
    pela leitura e incentivo

    ResponderExcluir