quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

noite de sedas, noite de segredos

noite de sedas, noite de segredos
noite. triste noite acordado
sonho que beijo a sua nuca nua
e minhas mãos empalmam o seu calor
e eu penetro no corpo de sua
noite, lá onde delira e fora
passam velozes passam motivados
mas danço consigo o Reino do Desejo
e sonho que estamos tão felizes
que vejo estrelas mundo alado
dos anjos do espaço
só tenho alguns minutos a seu lado
noite de sedas noite de estrelas
volto a dormir sonhar quem sabe

(reescrito em 1.1.2010)

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

o nosso amor é uma ficcão criadora

o nosso amor é uma ficcão criadora
um fingidor que finge
"o que deveras sente"
uma figuração cênica
linda, bela, emocional
prestidigitação contruída
do meu desejo

minhas mãos empalmam as tuas curvas
e apalpam teu sexo
como se fosse eu um estatuário
modelador
em tua luz

o nosso amor é um mito
mas é o mito aquilo
que nos conduz



eu que te amo

eu que te amo
não te conheço
apenas desejo
apenas fumos
apenas ser

mesmo assim eu te possuo
todas as noites

e sei que existes em algum lugar
que sentes o meu acariciar

que gozas
que mordes
que gostas


eu que te amo
não mudarei de lugar

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

o meu amor por você

o meu amor por você
é algo muito secreto
de sua família escondido
de sua consciência escondido
de todos segredo

o meu amor por você
não é medo

nada não tem de errado
ou reprovado
(quem reprovaria o amor?)
nem censurado

o meu amor por você
é elevado
sagrado
motivado

pelo nosso ser


(Para Rosa)



quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

noite de sedas estrelas



a noite não será tão negra enquanto eu puder ouvir a sua canção
nem saberei de dor enquando navegar
nas suas águas límpidas
nas suas imagens claras
nos seus cadernos e guardados
no seu sorriso jovem

a velhice nada significará
pois eu sei que está
junto a mim

mas tudo passa
e tudo que passa
tem a sua eternidade

tudo recebe os beijos da manhã
e a claridade da noite enluarada
envolta em sedas
de estrelas






terça-feira, 22 de dezembro de 2009

noite negra

a noite não será tão negra enquanto estivermos dando as mãos

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

minha identidade se perde em tua id

minha identidade se perde em sua id
e me perdi ali, que dissolvido
estou no ser amado em seu destino.
que se me vejo no reflexo de seus versos
já dividido sou nos seus espelhos
nem busco estar no todo de suas partes
mas no dorso, em procurando
a casa inteira dei-me conta
que só de números me inscrevo
e recebo identidade e assim percorro
os seus ombros, os seus pelos, o lenho exposto
sobre os anelados dos cabelos
e a linda curvatura do pescoço.