quarta-feira, 15 de abril de 2009

Noite negra




Noite. Noite negra, nesta montanha.
Unidos pelo mesmo hálito,
o mesmo manto sem estrelas.
Nesse mundo, onde estamos nós?
Nessa noite negra. Tão negra
que deixamos acesa aquela luz.
Entre nós. Nossas luzes.
Negra noite.


(Rogel Samuel
Tiradentes, 15 de abril de 2009).

6 comentários:

  1. Amigo Rogel,

    que ritmo bom há nesse poema!

    Abraços.
    Jefferson.

    ResponderExcluir
  2. Rogel, que espaço maravilhoso! Seus poemas são intensos e lindos demais! As imagens tocam lá no fundo da alma, deixando um gosto de quero mais.
    Obrigada pela partilha.
    E obrigada pelo carinho de suas palavras em meu blog.

    Um beijo

    Márcia

    ResponderExcluir
  3. um poema excelente.
    Beijo, mariah

    ResponderExcluir
  4. AMIGOS, OBRIGADO PELA LEITURA, COMENTÁRIOS, NASCIDOS MAIS DA BONDADE DE SEUS CORAÇÕES DO QUE DOS POUCOS VERSOS... MAS COMO SÃO 3 POETAS, 3 CRÍTICOS... ACABAM SENDO 3 VERDADES, E ME CONSOLAM.
    MIL FELICIDADES!
    OU COMO OS MONGES TIBETANOS DIZEM:
    QUE A FELICIDADE NASÇA! ALEGRIA!

    ResponderExcluir
  5. Releio e lagrimejo com tanta Beleza.

    Bem haja.

    ResponderExcluir
  6. CARISSIMA MARIA COSTA, EU FICO MUITO COMOVIDO QUE VOCÊ TENHA GOSTADO E MERGULHADO NESTA NOITE NEGRA.
    BOA NOITE ESTRELADA!
    ROGEL SAMUEL

    ResponderExcluir